Bullying

Muita gente acha que o bullying é apenas  um ritual de passagem ofensivo. A ciência tem mostrado repetidamente que se está longe de ser verdade e hoje faremos um pouco  sobre isso.

O bullying pode ser qualquer ação agressiva intencional e repetitiva envolve um desequilíbrio de poder entre o agressor e a vítima, os quais geralmente são crianças ou adolescentes em idade escolar. Ele pode ser feito por um ou mais pessoas que conforme repetido, o poder dos agressores aumenta, e da vítima, diminui. A tendência é que vai sendo cada vez mais difícil para a vítima suportar a situação. A assimetria de poder entre o agressor e a vítima pode resultar da maior força física, do estado social mais elevado do gestor dentro de um grupo e do tamanho do grupo no caso do bullying não ser praticado individualmente. Pessoas com necessidades especiais, obesidade ou que sejam percebidas como parte de minorias étnicas e sexuais estão em especial risco de serem vítimas de violência pelos colegas. O bullying pode ser praticado de forma direta o meio xingamentos ameaças socos chutes e gestos furtos ou danificação de objetos da vítima. Também pode ocorrer de forma indireta quando o agressor espalha rumores ou exclui a vítima de um grupo. Uma forma mais recente é o cyber bullying, ou seja, o bullying praticado principalmente o meio de celulares e computadores. Ele tem se tornado especialmente  preocupante pela possibilidade de ser persistente e difícil de ser percebido por professores e pais. De acordo com vários estudos, vítima de bullying estão em maior risco de desenvolver depressão, diferentes transtornos de ansiedade, baixa autoestima e ideação suicida. Elas também tendem a faltar mais aulas, ter um pior desempenho escolar e apresentar mais problemas de saúde. Além disso, esses efeitos negativos podem perdurar durante a adolescência e até mesmo a fase adulta. Pais, professores, administradores e alunos podem fazer a sua parte para diminuir o bullying. Administradores e professores devem ficar atentos para indícios de bullying e sempre tomar medidas inteligentes para coibi-lo.O agressor precisa entender que as suas agressões terão consequências negativas e imediatas, do contrário poderá manter suas agressões. Pais e administradores da escola devem ser implacáveis neste momento. A escola pode conscientizar pais e alunos de que o bullying é inaceitável por exemplo pedindo regularmente que ambos leiam e assinem e devolvam a escola um documento anti bullying  explicando tudo claramente mas também devem ficar atentos a sinais de bullying como baixo apetite roupas rasgadas ou choro. Nesses casos tente conversar com seu filho para entender o que está acontecendo e deixe claro que você ajudará. Definitivamente não dê conselhos como deixa isso pra lá ou bate nele também. A postura conformista ou agressiva estimulada por esses conselhos pode manter ou agravar o problema do seu filho. Dê conselhos como sugerir formas de evitar o contato com o agressor ou que ele identifique professores e amigos que possam ajudá-lo antes que a administração da escola possa intervir. Além disso sempre documente informe tudo à escola. Tente impedir o bullying antes de ele começar educam seus filhos sobre bullying e sendo um bom exemplo. Crianças vivendo em um ambiente familiar muito rigoroso ou violento podem estar mais dispostas agressões na escola. Pais que tratam as outras pessoas ou seu próprio filho com agressividade estão passando o ensinamento para ele: que a violência é uma forma aceitável de  tratar os outros e de resolver problemas. Alunos podem ajudar documentando e informando a escola e outros adultos sobre casos de bullying. Revidar uma agressão não é uma boa idéia já que a violência estimula mais violência e as coisas podem piorar do seu lado, se tem um mini projeto de capiroto infernizando sua vida evite ficar sozinho nos ambientes da escola e tente reagir de forma assertiva  a provocações. Demonstrações de irritação ou tristeza podem agradar muito o mini projeto e estimulá-lo a agredir mais depois. O bullying é uma forma de violência que vem sendo bastante estudada e poderemos falar sobre isso nos próximos artigo. Obrigado pela leitura!
https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/bullying.htm