Agressividade infantil

Olá! Hoje nós vamos falar sobre agressividade infantil um tema super polêmico que deixa os pais muitas vezes preocupados de cabelo em pé, quando a criança entra naquela fase em que o comportamento agressivo se torna mais presente se torna aparece com uma certa freqüência principalmente no contexto escolar onde as crianças estão ali na educação infantil, naquele

ambiente de coletividade tendo que aprender a lidar com o outro com as regras sociais, respeitar a vez do outro aprender a compartilhar os brinquedos e isso tudo acontecendo na verdade dentro

de uma pasta do desenvolvimento em que as crianças ainda tem a questão de Egocentrismo muito forte muito presente essa dificuldade é pra perceber o outro, porque nós ainda estão muito auto-centradas,não é pra poder negociar então o empréstimo de um brinquedo compartilhamento de um objeto acaba se tornando realmente ainda uma uma questão que pode gerar diversos conflitos quando elas estão ali entre elas tendo que transitar e conviver no coletivo.

Então agressividade ela pode aparecer nessas situações em que a criança aprende a bater, a empurrar, e puxar o cabelo, a arranhar e é importante realmente que a gente compreenda esse comportamento, no sentido de entender que isso acontece de fato porque a criança primeiro ela tem uma limitação ainda cognitiva, ela tem um funcionamento ainda celebrar um imaturo nessa idade 2-3 anos de idade, onde esse comportamento agressivo aparece com uma certa força então ela tem por exemplo uma dificuldade muito grande ainda para controlar o seu impulso então muitas vezes a dinâmica toma lá dá cá. Criança por exemplo coleguinha passa pega o brinquedo a criança se aborrece e vai lá em uma puxa o cabelo, ela tenta resolver daquela forma e ela age de uma forma muito impulsiva então a gente tem que entender diante desse aspecto e também entender que nessa idade 2-3 anos a criança ainda está no processo de desenvolvimento da linguagem, então pra lá verbalizar aquele incômodo verbalizar aquela situação que não agradou ela, é verbalizar aquele conflito tentar intervir e mediar aquilo através da palavra ainda realmente é complicado pra ela fazer isso.

Não é pra poder verbalizar ao invés de agir batendo mordendo e tudo mais, então a gente tem que entender e prestar bastante atenção principalmente na criança que está com algum atraso o desenvolvimento da linguagem porque realmente enquanto ela tiver essa dificuldade da comunicação, a agressividade vai ser realmente uma via muito mais digamos assim possível para essa criança se manifestar. Então a gente tem que estar muito atentos a essas situações porque por mais que seja um comportamento digamos assim é compreensível diante da questão do processo de desenvolvimento da criança, o fato de ser algo que a gente pode realmente esperar que venha a acontecer não elimina a necessidade da gente está atento e intervir no sentido de mediar situações. Então a gente tem que por exemplo aproveitar suas oportunidades de conflito muitas vezes, e fazer com que a criança começa a trabalhar por exemplo a empatia então quando ela bate num colega é importante que a gente convide a criança a perceber como é que aquele colega ficou, que ele está chorando vamos pensar o que ele está sentindo aquele aquela forma que você bateu nele, será que não doeu, será que ele realmente não tá chorando porque isso foi ruim pra ele? Se fosse com você, se fosse você tivessem apanhado? Vamos pensar como será que você se sentiria ia gostar? Então a gente tenta mediar a de uma forma saudável no sentido de convidar a criança, a uma reflexão nesse sentido pra que ela possa aos pouquinhos e percebendo outra e se colocando no lugar do outro e criando novas possibilidades para poder então resolver seus conflitos. A partir dos 3 anos de idade mais ou menos a criança já tem uma uma condição maior para poder desenvolver essa questão da empatia mas realmente a gente precisa ajudá la com essa mediação com essas reflexões que a gente acaba colocando pra ela. Então vamos ficar atento a essa dinâmica da criança e também vamos sentar abordar a criança verbalizando pra ela que é a coisa que a gente fala da educação emocional mesmo então a gente tentar o máximo que possível nas situações que a gente vê que a gente consegue mediar,colocar que ela realmente o que fez com que ela realmente batesse no coleguinha será que foi porque ela ficou com raiva? Então vale a pena a gente dizer isso para a criança é a questão da nomeação de ajudar crianças a reconhecer a emoção e a nomear a sua emoção também, à medida que a gente vai tocando a criança emocionalmente nesse sentido e dizer para a criança que ela está sentindo denominar essa emoção pra ela, mesmo que ela seja muito pequena que ela tem 2-3 anos, quatro anos é importante que a gente já tem esse hábito de fazer essa abordagem com a criança porque à medida que a criança vai criando consciência da sua emoção vai criando consciência do que está acontecendo ela vai ter uma condição não só de verbalizar como também vai ter uma condição de encontrar novas formas de resolver os seus conflitos que não seja através da agressividade.

Se o seu filho está com problemas com Agressividade infantil clique nesse link e elas poderão lhe ajudar.

Então preste bem atenção a essas oportunidades de mediação eduque seu filho  no sentido emocional, ajude-o a então a reconhecer e a nomear suas emoções, ajude nesse processo de empatia se colocando no lugar o outro e fica atento especialmente as crianças que ainda estão com dificuldade na fala, o que realmente pensa e se coloca você no lugar de uma criança que ainda não fala bem não fala é de uma forma inteligível que faça com que ela realmente consiga se expressar então isso gera muitas vezes muita frustração, a criança tenta falar tenta se comunicar e não consegue outro não consegue compreender bem. Então isso gera uma certa uma certa agonia, uma inquietação nos pequenos nessa situação que realmente foge a abrir uma margem maior para ele permanecer com esse comportamento agressivo então é muito importante que a gente ajude a criança nesse processo de verbalização e quando a gente dá a palavra, quando a gente materializa a palavra aos pouquinhos a gente vai dando uma condição para a criança então, conseguir dissolvendo esse comportamento agressivo e conduzindo e tendo novas formas encontrando novos caminhos para então é realmente conseguir renegociar situações conflituosas e expressar as suas insatisfações dos seus desconfortos e as suas frustrações. Hoje foi isso esse espero que ajude você a refletir em encontrar uma forma de repente mais assertiva de abordar a criança nesse sentido! Um abraço!

Se precisa de ajuda nesse tema acesse: http://psicologaemcuritiba.com/